Vogue.pt not

12 Jun

Alguém pode dizer à Vogue algumas pequenas coisinhas que os ajudem no que diz respeito a websites????

Será que eles sabem que cada vez há mais utilizadores a utilizar Mac por isso dava um jeitaço que o website fosse implementado tendo esse pequeno pormenor em consideração? Será que ora alinhar os conteúdos à esquerda, ora alinhar conteúdos ao centro, tudo mixado na mesma página agora está na moda? Será que espetar com molduras a imitar as películas de negativos fotográficos voltou a ser cool (na Homepage!!!)? Será que alguém lhes diz o que é uma navegação userfrindly? Será que há um estagiário com dois dedos de testa que os ajude a fazer os destaques promocionais com montagens decentes? E será que há algum copy, editor, corretor, ou o que lhe queiram chamar que os ajude na correcção dos erros ortográficos? E por fim será que alguém lhes pode dar umas aulinhas de bom gosto e dizer o que está “em voga” no que toca a design?

www.vogue.xl.pt

Anúncios

Chão do Prado

11 Jun

Excelente restaurante a cerca de 30/ 40 minutos de Lisboa, fica na zona de Bucelas, que vale totalmente a pena a viagem! É numa quinta, no meio das serras e vinhas da zona proporcionando por isso uma excelente paisagem a quem por lá almoça. A acompanhar as vistas juntam-se uma comida deliciosa e vinhos produzidos na casa extraordinários – com destaque para o espumante.

Para entradas escolhemos uns ovos mexidos com farinheira, prato este que nunca resisto quando vem na ementa e posso por isso afirmar que estes são dos melhores de Portugal (para mim só os da Herdade do Sobroso é que estão à frente mas também a D. Josefa – a santa cozinheira da herdade – já foi galardoada e tudo, por isso é difícil bater). A fazer parelha com os ovos pedimos um queijinho de Nisa na brasa que também é de comer e chorar por mais. Tudo isto acompanhado por pão da região quentinho, quentinho, guloso que só visto (neste caso comido)!Os pratos eleitos andaram mais pelas carnes, que são o forte da zona, e entre o bife à chão do prado com um molho de espumante e pimenta (se não me engano), uma espetada do lombo com um molho de ervas fresco e muito especial, uns cubinhos de carne com um molho de alho ao que parece também espetacular, é difícil eleger o mais saboroso. Ao que parece o polvo à lagareiro também não era nada mau e as sobremesas deram mesmo o aconchego final à refeição dos deuses. Eu fiquei-me pelo bolo de chocolate com uma bola de gelado que era óptimo, nada enjoativo, perfeito.

Ora assim posso dizer que o aniversário do papá se passou mesmo muito bem, foram 58 Primavera comemoradas entre delicias de Bucelas, nada mau mesmo! Recomenda-se.


www.chprado.com

É pena o site não representar minimante a essência do espaço (devia ter tentado vender um site em condições! para a próxima) mas vão por mim, vale mesmo a pena conhecer.

Nota: Obrigada Engenheira Catarina e hiper benfiquista Vitor por me terem apresentado este cantinho tão especial.

Back to work

6 Jun

Lá chegou o dia do regresso ao trabalho depois de 5 meses inteirinhos em casa no papel exclusivo de mãe. É triste… Sair de casa é um martírio com algumas lágrimas disfarçadas à mistura. Ao longo do dia vamos olhando para o relógio imaginando o que está a acontecer naquele momento por casa na nossa ausência, ficamos com o coração apertado, mas pensamos na bela frase tão típica portuguesa: “tem de ser…” e reconfortamo-nos um pouco, como se tudo se justificasse em 3 pequenas palavras. “Tem de ser”, “Os crescidos têm de trabalhar”, “Temos de ganhar dinheiro para a papa”, “Tem de ser…” – será alguma (ou todas) estas frases que vamos utilizar um dia, quando ele compreender melhor o mundo que o rodeia, para lhe explicar a ausência dos pais durante o dia; por agora servem-nos para nos tentar reconfortar a nós. Para ultrapassar sem grandes dramas esta fase de mudança restam-nos muitas manobras de diversão com muita gargalhada e palhaçada à mistura (com um forte e honrado papel do pai neste campo nesta fase tão crucial – és um máximo pai David!) para que ele se vá habituando à nova rotina sem que o seu pequeno mundinho seja demasiado abalado.

Por outro lado sabe muito bem agora chegar a casa, esta é a novidade boa.

Mini casa Maxi espaço!

4 Jun

 

The Sartorialist

18 Maio

Great video of Scott Schuman’s day life, aka, The Sartorialist – Great blog, beautiful photos…


Low Cost for children

17 Maio

Hoje foi o shopping day para o filhote e por isso não quero deixar de agradecer a existência das Zippys, Zaras, C&As e H&Ms da vida, ou seria terrivelmente dispendioso (quase impossível para muitas famílias) vestir as nossas criancinhas todos os dias, só nós mães sabemos quantas diferentes mudas por dia!

Qualquer uma destas lojas permitem que os nossos filhotes andem quentinhos ou à fresca, confortáveis e sempre muito giraços. Fazendo um breve passeio entre estas lojas podemos vestir os nossos filhos ao som do último grito da moda a preços super, super acessíveis. Os valores andam em média entre os 7€ e 12€ a peça, por vezes são até para packs de peças, como por exemplo para os interiores que são habitualmente vendidos aos pares ou em grupos de 3.

Dez vez em quando lá se pode comprar uma coisinha ou outra mais cara por ser irresistível e porque vai fazer toda a defirença no look do pequenote, mas de facto trata-se de um comportamente excepção e não uma regra. Não só porque há preços que são realmente um exagero dada a dimensão das roupas vs quantidade de materiais utilizados mas, sobretudo, porque eles crescem tão depressa, a roupa deixa de servir a uma velocidade inter galática que, se vamos fazer grandes investimentos constantes no guarda-roupa, é uma dor de alma cada pequena meia ou t-shirt que deixa de servir quase de uma semana para a outra.

Vivam as marcas low cost (com pinta)! Um grande obrigada em nome das mães dos nossos dias 🙂 Se para nós estas lojas já fazem milagres para os mais pequenos são o verdadeiro paraíso!

www.zippy.pt

www.zara.com

www.hm.com

Fashion. Love, Africa

12 Maio

“Clements Project” deu origem ao Fashion. Love, Africa após ter estado no Kenya e ter conhecido a realidade de um grupo de mulheres (avós, mães e filhas – vítimas de maus tratos, violações, HIV…) que vivem na lixeira e faziam malas a partir de sacos encontrados na lixeira onde viviam/ vivem. Ryan Clements, designer Nova Iorquino, ficou impressionado com este grupo de mulheres que, se tivessem sorte, vendiam uma ou duas malas por semana permitindo-lhes alimentar os seus filhos que vivem com elas. Quando regressou aos EUA não conseguia deixar de pensar nelas e desenhou uma colecção de malas que lhes iria permitir dar um aspecto mais atractivo aos produtos de modo a que pudessem ser mais interessantes para venda. O objectivo é angariar mais dinheiro para aquelas mulheres darem uma vida melhor aos seus filhos e elas próprias serem, claro, mais felizes mas também para comprar uma parte de terra de modo a dar a estas pessoas um lar, um bairro, fora da lixeira.

Projecto extraordinário. Vou comprar uma mala para mim para também contribuir (e uma mala nova nunca é demais). Conheçam o plano no site e façam as vossas compras: fashionloveafrica.com

Conheçam o Clements, o projecto e as “suas” meninas: